MEDALHAS E COLARES

Outorgadas pelo Instituto Histórico Militar

combatentes_edited.jpg

MEDALHA COMBATENTE DA FORÇA PÚBLICA

A referência da medalha Combatente da Força Publica reflete a necessidade de resgatar nosso passado. E conciliar essas duas perspectivas da história militar – o cidadão-guerreiro e o soldado profissional. A ideia do Combatente da Força Pública, seja ele o soldado profissional ou o voluntário arregimentado e disciplinado, ambos combatendo sob os rigores da lei constitucional e das convenções militares, estavam também imbuídos por um sentimento heroico, de defensor de sua gente e sua terra, e dela pertencer e por ela viver.
O Combatente da Força Pública em 1932 foi o militar profissional organizado em batalhões reforçados por voluntários civis, o civil se fundiu ao militar, lutaram por seu dever cívico, patriótico. O Combatente da Força Pública em 1932 foi o herói que se dispôs ao sacrifício, defendendo até as últimas consequências sua sociedade e seus valores. A mística de 32, nos permite pensar que é preciso resgatar essa figura antiga do guerreiro cidadão, ciente do seu compromisso patriótico e defensor dos valores sociais, mantendo-o e conciliado com a necessidade da ordem institucional e disciplina técnica do militar profissional.
Hoje precisamos pensar no militar e no policial, não apenas como um profissional zeloso, mas como nossos heróis do dia a dia, que se arriscam cotidianamente preservando e protegendo a sociedade. Ao mesmo tempo em que temos que compreender que devemos permitir que essa sociedade possa e deva, ao lado daqueles aquartelados, se responsabilizar, não só por sua própria segurança, mas pelo seu próprio destino, e assumir a sua parte na defesa de seus valores morais e seus bens na proteção de sua pátria, na trincheira do dia a dia, como professor dedicado, como engenheiro responsável, como médico atencioso, como comerciante honesto, trabalhador diligente. Queremos novamente cidadãos-guerreiros, honestos e que amem e defendam sua pátria e sua gente, tornando-se referência de retidão para todos. E se preciso for devem defender novamente sua pátria nas trincheiras do campo de batalha.
Por isso outorgamos a presente comenda Combatente da Força Pública, para representar o propósito do Instituto Histórico Militar, resgatando a história e preservando valores, para manter a nossas instituições militares e policiais    integras, autônomas e respeitáveis. Reconhecendo e valorizando o trabalho do policial militar e civil, e dos militares em geral.  E também resgatar e instigar o amor de nossos compatriotas, civis, ao país, suas instituições, sua histórica e as coisas de nossa terra, retomando o seu papel cívico e seu compromisso como cidadãos.

bandeirante_edited.jpg

MEDALHA BANDEIRANTE DOMINGOS JORGE VELHO

Possuindo a efígie do Bandeirante Domingos Jorge Velho, sob uma cruz de Cristo representando a missão civilizacional dos conquistadores. E laureada com as cores lusitanas, reafirmando nossa identidade cultural.

A medalha Domingos Jorge Velho é uma homenagem ao grande bandeirante e seu papel na conquista e pacificação de parte do território que compõe o Brasil.

O bandeirante foi o líder que organizava e dirigia as tropas à frente de seus homens, dando-lhes o exemplo de força e determinação. E Domingos Jorge Velho foi o Bandeirante por excelência, comandante na conquista e pacificação do sertão nordestino, vencendo as tribos indígenas hostis. Ele próprio era um caboclo, descendente de portugueses e índios, chefiou milhares de brancos, índios e caboclos em suas missões. A Bandeira representa a essência do Brasil, uma força miscigenada que não coloca a condição de nascimento ou a cor da pele como critérios de posição social, mas sim a competência, capacidade de liderança e determinação em atingir os seus objetivos.

Domingos Jorge Velho representa o Brasil, miscigenado, corajoso, diligente, que coloca o Dever e a Honra antes dos Direitos. O Bandeirante é o soldado cidadão, criador e defensor do Brasil.


Não compactuamos com quem quer nos separar, seja em raças e cores, homens contra mulheres, jovens contra velhos, sulistas contra nortistas. Nossa pátria é uma Nação agregadora, nossa força reside em nossa diversidade.

Domingos Jorge Velho representa o Brasil, miscigenado, corajoso, diligente, que coloca o Dever e a Honra antes dos Direitos. O Bandeirante é o soldado cidadão, criador e defensor do Brasil.

Esta medalha é uma homenagem aos policiais militares e civis e a todos os cidadãos que colocam o Dever, a Honra e o Brasil antes de tudo.

Não podemos temer ou nos envergonhar de nosso passado, Ele foi povoado por grandes homens, grandes líderes que enfrentaram grandes provações, e fizeram o seu melhor. Usaram da Força para impor a necessária ordem, justiça e paz. Os Bandeirantes foram homens de guerra em um tempo de guerras. Fizeram a sua parte e garantiram a paz para todos nós, conquistando terras e miscigenando gentes. Nenhuma nação ameaçará novamente nosso país, da mesma forma que nenhuma ideologia ameaçará separar nosso povo.

Essa Medalha Domingos Jorge Velho, é uma homenagem a Força, sim.  A força dos homens, a força dos líderes. É a força que junta as pessoas. É a Força que combate invasores. É a força que inibe criminosos.

Ter essa medalha em seu peito constitui  não apenas uma demonstração de apreço por sua dedicação ao trabalho na segurança pública, mas a dignificação de seus esforços em preservar a nossa história e nossos valores, e sobretudo uma recordação permanente da responsabilidade de ter a postura e abnegação dos nossos heróis do passado, em defender nossa gente e nossa terra

tuiuti_edited.jpg

MEDALHA BATALHA DO TUIUTI

A Medalha Batalha do Tuiuti faz referência a maior batalha ocorrida na América do Sul. Nela o Exército Imperial Brasileiro demonstrou valentia e determinação singulares, as tropas imperiais bra sileiras atacadas de surpresa por três lados, resistiram e contra-atacaram ferozmente.

A Batalha do Tuiuti consolidou o Exército do Brasil, numa formação profissional. Desta batalha todos os que lutaram saíram heróis, e dentre estes heróis, três se sobressaíram:

Mallet – comandando a artilharia no centro, realizou a construção preventiva de fossos defensivos, e através da coordenação do fogo impediu a aproximação da vanguarda inimiga.

Sampaio – comandando a infantaria, efetuou uma série de investidas ferozes e recuos táticos para atrair o inimigo onde pudesse esmaga-lo. Impedindo o envolvimento de flanco. Lutou até ser fatalmente ferido.

Osório – comandando a cavalaria, vendo a desorganização das linhas aliadas, tomou a frente, assumindo o comando geral onde pode coordenar as tropas brasileiras e uruguaias, movendo os batalhões para impedir o cerco, e poder contra-atacar, transformando a iminente derrota numa brilhante e absoluta vitória do Império do Brasil e forças aliadas.

De Tuiuti os 3 grandes comandantes brasileiros tornaram-se os patronos das armas nacionais.

- Mallet, símbolo da prudência e da técnica, patrono da artilharia;

- Sampaio, símbolo da determinação, patrono da infantaria;

- Osório, símbolo do ímpeto e comando, patrono da cavalaria.


Tuiuti foi para os brasileiros a prova de que o Brasil não pode ser afrontado ou atacado, aqui os inimigos nos atacam e aqui eles são enterrados.


Aos que receberem a medalha Batalha de Tuiuti em seus peitos, sintam o peso de seu significado. Sejam dedicados, serenos e corretos em suas vidas, mas diante do chamado ao dever, façam além de dar o melhor de si, façam o impossível acontecer, e não recuem jamais diante dos inimigos do povo brasileiro.

Como em Tuiuti vocês são a última esperança, vocês são a muralha que protege nosso povo do caos e da barbárie.

IMG_8897_edited.jpg

MEDALHA MÉRITO JURÍDICO

A Medalha Mérito Jurídico, foi criada pelo Instituto Histórico Militar com o propósito de laurear Militares e civis, Pessoas Físicas ou Jurídicas, brasileiros ou estrangeiros, que tenham desempenhado funções na Justiça Militar e Justiça Civil, Corregedoria, Promotoria, Polícia Judiciaria Civil e unidades de combate ao crime, ou ainda que tenham prestado relevantes serviços A Justiça e ao Direito, distinguindo-se no exercício da profissão em especial, e pela dedicação as atividades Jurídicas ou ao estudo e ensino do Direito.
Esta comenda é um tributo ao trabalho incansável na defesa da Justiça e da Ordem Públicas. Um reconhecimento deste Instituto e da Sociedade em geral, pelo emprenho, desenvolvimento, aperfeiçoamento e aprimoramento do exercício do Direito em prol do bem da coletividade.

sangue.jpg

MEDALHA SANGUE E BRAVURA

A Medalha Sangue e Bravura foi concebida para homenagear os bravos combatentes que vieram a tombar ou a se ferir no exercício da função policial.
Esta condecoração é um reconhecimento que o Instituto Histórico Militar faz para honrar os heróis de nosso presente, que arriscam a própria vida na defesa de todos os homens, mulheres e crianças que compõe nosso país. Vocês são os Bravos que lutam. E os Bravos jamais serão esquecidos.
Esta condecoração é um tributo que a Sociedade Civil faz para dignificar os heróis que sangraram na guerra diária na proteção do cidadão. Vocês são os Guardiães de nosso Povo.
Precisamos valorizar aqueles que nos defendem, precisamos honrar aqueles que se sacrificam. Esta condecoração é nosso mais sincero obrigado, e um símbolo do nosso respeito e admiração.